A Fanfarra


A Fanfarra

Bombeiro Aníbal Teixeira

Durante anos o Bombeiro Aníbel Teixeira foi a figura emblemática da Fanfarra

Decorria o ano de 1967 quando um grupo de Bombeiros constituído pelos senhores: José Nogueira Matias de Aguiar, Fernando de Jesus Dias, Feliciano da Silva, Mário Mendes e Francisco dos Reis Pereira se organizaram e com a autorização do Comando e Direcção criaram uma Comissão com vista à criação de uma fanfarra.

Esta Comissão contou com o apoio incondicional dos Chefes Francisco Barros e Artur Costa, que os orientou na sua organização e abordagem directa aos amigos e beneméritos que contribuíram financeiramente para esta causa.

Esta Comissão promoveu peditórios, fundou um pequeno Bar dentro do Quartel, organizou corridas de cavalos que decorreram na Estação e na Vila Velha, abriu uma Sala de Jogos, também no quartel, onde instalaram um bilhar e uma mesa de matraquilhos, fizeram bailes e matinés dançantes, tendo em vista angariação de fundos para a criação da Fanfarra.

É de salientar a contribuição dada pelo Senhor Vidal, homem natural de Arnadelo, freguesia de Torgueda, radicado há muitos anos no Brasil que estado de férias em Vila Real, instalado no Hotel Tocaio, por intermédio do seu amigo Francisco Barros recebeu a Comissão que lhe pediu uma contribuição. O Sr. Vidal prometeu-lhe então uma boa ajuda, logo que regressasse ao Brasil. Assim aconteceu e regressado ao Brasil, enviou vários donativos que totalizaram 20.000$00 (muito dinheiro à época).

Os acessórios que equipavam os elementos da Fanfarra, tais como os aventais, cinturões, manguitos, correias em couro foram feitas pelos próprios Bombeiros que, ao serão, se juntavam no Quartel para realizar  essas tarefas, para além de outras, relativas à Fanfarra.

A Direcção da Associação deu a sua contribuição através de um empréstimo bancário que efectuou, dadas as dificuldades económicas que se viviam na época.

A manutenção da Fanfarra, cujos encargos se deviam à aquisição de instrumentos e fardamentos, fazia-se através das próprias actuações desta e de quotizações dos associados da própria Fanfarra. A angariação dos sócios para a Fanfarra foi uma iniciativa da Comissão Organizadora, sendo que os sócios contribuíam mensalmente com a importância de 2$50.

É de realçar que o 1º Instrutor da Fanfarra foi o Cabo do Exército do RI 13, senhor Alziro, conhecido por Cabo Alziro. A instrução de esquemas de apresentação da Fanfarra tais como rodas, estrelas e outras formações ficaram a cargo dos Bombeiros Artur Costa e André Alvadia.

A primeira apresentação pública foi no Aniversário da Associação em 1 de Janeiro de 1969. O fardamento era composto por calça azul, camisa cinzenta e boina verde.

O porta-estandarte era o Bombeiro de 2ª Classe, na época o Senhor José Nogueira Matias de Aguiar, que fazia parte da Comissão Organizadora.

É também de salientar que a primeira actuação da Fanfarra, após a apresentação no Aniversário, foi no Aniversário dos Bombeiros de Mondim de Basto em 10 de Fevereiro de 1969. A segunda actuação foi na Festa de Nª Sª da Azinheira em S. Martinho de Anta, tendo esta Fanfarra, nesse mesmo dia, tocado na Festa de Constantim, gratuitamente, como forma de gratidão pela boa colaboração dada pelas gentes daquela localidade a quando do peditório para a criação da Fanfarra.

Assim, passou a existir na Associação uma Fanfarra da responsabilidade da referida Comissão a qual existiu e se manteve em exercício durante vários anos. Em meados dos anos 80 foi nomeado pela Direcção o senhor António Mota como seu representante junto da Comissão que entretanto vigorava a fim de se coordenarem esforços para que a actividade da Fanfarra se mantivesse.

Vila Real, 20 de Abril de 2007

António Alberto Soares Costa Barros

Ver mais do Historial:

< Secção Destacada em Justes Atos Festivos >